Nistagmo trata-se de um problema visual caracterizado por movimentos involuntários repetitivos e rítmicos dos olhos. Existem três tipos principais de nistagmo. Ele pode ser classificado como fisiológico, quando os olhos movimentam-se normalmente para focalizar ao virarmos a cabeça, por exemplo.

Já na ocorrência de nistagmo patológico, esses movimentos acontecem mesmo com a cabeça parada. Além desses dois tipos, há o nistagmo congênito, quando é percebido, assim que a criança nasce.

Em geral, esses movimentos podem estar associados a várias doenças oculares e, ainda, como consequência de labirintite. Também pode ser provocado por alterações neurológicas ou como um efeito colateral de medicamentos.

Nesse post você encontrará os seguintes tópicos sendo abordados:

  • Nistagmo: movimento dos olhos;
  • Principais causas da doença;
  • Sintomas além dos movimentos;

Boa leitura!

Movimento dos olhos

fonte: (Reprodução/Internet)

No nistagmo, o movimento involuntário geralmente ocorre em ambos os olhos, por isso, é classificado como nistagmo bilateral, caso contrário, só pode ocorrer em um olho, neste caso é denominado nistagmo unilateral.

É importante tomar consciência física dos movimentos. A maioria das pessoas com nistagmo não percebe o problema até que outras pessoas lhe digam. Quanto mais consciente a pessoa estiver do problema, mais fácil de controlá-lo.

Por isso, não deixe de passar em uma consulta com o médico oftalmologista. Somente ele poderá informar um diagnóstico preciso, de modo a oferecer o melhor tratamento para seu caso. Outras situações que podem desencadear o nistagmo ao longo da vida são:

  • Alterações neurológicas decorrentes de tumores ou pancadas na cabeça, por exemplo;
  • Perda da visão;
  • Deficiências nutricionais, como a vitamina B12;
  • Acidente Vascular Cerebral;
  • Consumo excessivo de bebidas alcoólicas.

Principais sintomas

Além dos movimentos involuntários causados pela doença, existem outros sintomas que podem comprovar sua existência. Dentre eles, cabe destacar o provável desequilíbrio  provocado por tonturas, náuseas e vômitos também podem ser sinais.

Os sintomas citados podem ser facilmente confundidos com os de outras doenças, por isso, preste bem atenção aos sinais que seu corpo manda. Jamais se automedique e, ao menor sinal de desconforto visual procure um médico.

Tratamento natural pode ajudar na recuperação do nistagmo 

Como foi dito, o nistagmo pode ser causado através de diversos fatores, todos necessitando de um acompanhamento médico. Para fortalecer o tratamento, os exercícios naturais possuem um poder considerável na hora de auxiliar o paciente na recuperação da doença.

Abaixo, estão alguns que podem ajudar nessa fase. É importante ressaltar que nenhum deles devem ser feitos como substitutos ao tratamento indicado pelo oftalmologista, mas sim, complementar. Confira: 

  • Feche os olhos e toque com suavidade as pálpebras, sentindo se seus olhos estão parados ou se movendo. Perceba e fique mais consciente do estado de seus olhos.
  • Olhe em um espelho, a cerca de 20 cm dele (caso necessite, pode ficar bem perto), e mire a ponta de seu nariz, exatamente entre e acima dos olhos. Se você se concentrar nesta área poderá perceber o movimento involuntário de seus olhos.
  • Respire profundo, relaxe, e siga os movimentos de seus olhos tentando retardá-los, dirigi-los e aquietá-los. Não pratique este exercício por mais de alguns minutos, descanse após exercê-lo e depois o retome durante seu dia.

Existem outros exercícios, principalmente de relaxamento visual, que tem grandes chances de ajudar a controlar o problema. Veja abaixo o caso de um dos mais de 5 mil alunos Olhos de Águia que aplicaram o método.